sexta-feira, 20 de maio de 2022

Homeschooling

A Escolástica bolsonarista

Uma visão aterradora do futuro
Uma visão aterradora do futuro vai se transformando em realidade no Brasil: a transferência da tarefa da Educação para o ambiente sombrio do senso comum familiar: a casa do estudante como escola; os princípios da autoridade paterna como fonte do conhecimento; o pré-conceito como metodologia; a ignorância como virtude e valor. 

É claro que a Escolástica, na sua origem, não foi nada disso, exceto pela ortodoxia medieval com que a Igreja interpretou a aproximação entre fé e razão do sistema aristotélico: na distância entre os dois polos, configura-se o poder dos enunciados da ordem teocrática que devem ser afirmados sobre quaisquer demonstrações de natureza empírica racionalista. No final, a verdade do conhecimento (ainda que relativa) advém mais do seu caráter de diktat (a determinação imposta pela força) do que do poder da argumentação e essa é a intencionalidade da homeschooling cuja introdução no sistema educacional brasileiro foi aprovada na Câmara dos Deputados (siga o noticiário postado abaixo e assista ao vídeo de Elika Takimoto sobre assunto).

É difícil qualificar, em qualquer âmbito, o significado dessa decisão, exceto que se trata de uma excrescência cultural imposta a um país em plena modernidade científica e tecnológica em direção à qual nos movemos com extraordinária lentidão. A vingar o fundamento obscurantista da educação domiciliar, o Brasil dará uma cabal demonstração da inviabilidade de seu desenvolvimento e progresso. Mas não se diga que fomos pegos de surpresa: toda a canalha das igrejas evangélicas, de braços dados com civis e militares nazi-fascistas, há já algum tempo vêm contaminando as instituições nacionais com esses princípios. A Educação é um outro território em disputa,  como têm sido o Congresso, os tribunais, a mídia... Ainda restam a eleição de outubro e as ruas como oportunidades para reverter esse quadro... 

Não deixe de ler: * O fanatismo venceu a Educação (SinproSp) * Ensino domiciliar flerta com desperdício e retrocesso (Josias de Souza (Uol) * Câmara dá as costas ao país e vota escola para agradar Bolsonaro (Olga Curado, Uol). * Homeschooling: entidades criticam projeto de lei (G1).

Nenhum comentário: