sábado, 13 de fevereiro de 2016

O mito da qualidade exclusiva do ensino particular indo para o espaço

A notícia está em todos os jornais: 88% dos aprovados no vestibular mais concorrido da Unicamp - o de Medicina - são estudantes que vieram da escola pública. Trata-se de um fato repleto de desdobramentos, em especial a desconstrução de um mito que alimenta há décadas a corrosiva privatização do ensino - talvez não tanto no seu aspecto de natureza administrativa e econômica, mas na privatização dos atributos de natureza simbólica que as escolas particulares imaginam que asseguram o mundo de fantasia em que vivem.

No ensino superior, isso nunca aconteceu, pois que a universidade pública continua sendo padrão de referência no terreno do ensino e da pesquisa. Por maior que tenha sido o esforço de pauperização que os sucessivos governos federais e estaduais fizeram no sentido de destruir sua excelência acadêmica - inclusive em gestões que, na sua origem ideológica, proclamavam o contrário -, a universidade pública manteve-se como espaço de qualidade. Em algum momento, a história ainda vai ser devidamente contada, em especial a sordidez da transferência de recursos públicos para as mãos do capital através do Prouni, do Fies, das isenções fiscais etc.

A notícia de agora, no entanto, pega no pulo o mito da excelência do ensino particular de nível médio, um espaço com muitas iniciativas pedagógicas interessantes e honestamente preocupadas com a qualidade do que fazem, mas... na maioria dos casos e hegemonicamente nas mãos de empreendedores aventureiros que transformaram a educação em mercadoria aviltada, dominada por uma concepção meramente gerencial e financeira do aluno, do professor e da sala de aula. O resultado é o que se vê agora nos vestibulares da Unicamp.

Acho que a notícia que abre este post exige um comentário do governador Alckmin, no mínimo...

* Enquanto isso, vale a pena ler estas matérias: * Mec retoma 100% dos pagamentos do Fies (Estadão) ★ Mec não limitará os reajustes do Fies * Empreendedorismo vira farsa ideológica (Ícaro de Carvalho, Medium) * Pequena revolução nas escolas ocupadas de São Paulo (Outras Palavras).
______________________________

Nenhum comentário: