terça-feira, 2 de abril de 2019

Três meses depois da posse, Bolsonaro leva país ao caos

Presidente vive delírio ideológico permanente

Os principais efeitos da crise, segundo matéria da  BBC

O governo de Jair Bolsonaro completa três meses precisando arrumar a casa. A última semana deixou mais evidentes as fragilidades na articulação política, que põem em risco sua principal agenda, a reforma da Previdência, assim como a paralisia de uma área crucial, o Ministério da Educação (leia mais).

Registros: * Quem pagou o vídeo de apologia à ditadura? (El País) * Avanço do desemprego surpreende especialistas (Folha) * Por que o presidente Bolsonaro não pode celebrar o golpe de 64 (The Intercept) * Judeus pela democracia (Opera Mundi).

Em Israel: * Fiasco da viagem a Israel é só um sinal do virá para a diplomacia brasileira (El País) * Balança mas não vende: os prejuízos comerciais da aproximação com Israel em detrimento dos árabes (Piauí) * Itamaraty trocou pragmatismo diplomático pelo fundamentalismo religioso (GGN) * Por que evangélicos pressionam pela mudança da embaixada brasileira para Jerusalem (BBCBolsonaro é criticado por judeus e árabes (Extra Classe) * Nazismo é de direita, define o Museu do Holocausto visitado por Bolsonaro em Israel (BBC) * Brasil deixou neutralidade de lado e passou a fazer o jogo de Israel (Uol) * Escritório em Jerusalém: árabes podem trocar importação do Brasil pela Índia (Uol).

De volta: Bolsonaro defende discurso sobre Ustra e nazismo de esquerda no último dia em Israel (BBC)
______________________________

Nenhum comentário: