sexta-feira, 11 de setembro de 2020

População brasileira ameaçada pela escassez de alimentos e pela explosão de preços

Colapso no abastecimento do arroz e a especulação com os preços do produto reflete o impasse a que o neoliberalismo levou o Brasil
A possibilidade de que ocorra um colapso na oferta de produtos destinados à alimentação básica da imensa maioria da população brasileira já é uma ameaça concreta. A crise é o resultado da convergência de vários fatores, mas um deles aglutina e potencializa todos os demais: a recusa dos empresários do agronegócio em fornecer seus produtos (neste caso, o arroz) para o mercado interno, em vista dos altos lucros que estão conseguindo no mercado internacional pela demanda ampliada em diversos países e pela alta do dólar.

Apavorado com a simples ideia de que desse estrangulamento resulte uma dramática convulsão social, com cenas de saques a armazéns e supermercados, Bolsonaro - que não tem a menor ideia do tamanho da crise - encena a intervenção do Estado no setor, naturalmente adotando paliativos fiscais e fazendo apelos ao 'patritorismo' dos varejistas, mas já percebeu que isso pode lhe custar o apoio político das correntes que entendem que a intervenção do governo no 'livre mercado' deve ser radicalmente rejeitada. E o povo? Que coma macarrão, como já disse cinicamente um dirigente empresarial do setor.

Estamos testemunhando um episódio revelador da inviabilidade do modelo neoliberal que transfere para as tendências irracionais do empresariado a gestão da economia, como se o universo da produção e seus desdobramentos (renda, emprego, consumo, serviços) fossem meros incidentes dos lucros exorbitantes que obtém em suas atividades. O caso do agronegócio é exemplar: trata-se de um segmento que transformou seu 'empreendimento' em fator de reprimarização da economia brasileira sob todos os aspectos, inclusive na prática ambiental predatória e na exclusão social. O discurso do setor é o do ufanismo, mas esta é uma narrativa que não encontra correspondência na realidade, como a crise do abastecimento do arroz demonstra.

Leituras sugeridas: Sem carne, sem leite, sem arroz (Juliana Gonçalves, Intercept, via compartilhamento no Facebook) * O drama do arroz expõe as misérias do 'agro' (Outras Palavras* A política agrícola que pode mergulhar o país na fome (Brasil de Fato, Outras Mídias) * Com a crise do arroz, Guedes é a política anti-vacina na economia (GGN) * Alta do arroz traz de volta a inflação à mesa do brasileiro e põe bode na sala de Bolsonaro (El País) * Governo contraria viés liberal da economia e agricultura ao investigar alta do arroz (Folha) * Lula bate Bolsonaro, mas perde do arroz (Piauí) * O arroz do pobre na fritura do ministro (Piauí) * A produção de commodities (A Terra é redonda) * Movimentos pedem derrubada de vetos de Bolsonaro 'para Brasil não morrer de fome' (IHU)
______________________________

Nenhum comentário: