sexta-feira, 19 de fevereiro de 2021

O estamento ilegítimo

O Brasil ocupado

Forças Armadas tornaram-se fiadoras de um governo ilegítimo e estão dispostas a violar o que for preciso para assegurar o bolsonarismo como moldagem ideológica do país

Estudos sobre o papel que as Forças Armadas desempenharam no mundo inteiro depois da II Guerra mostram pelo menos três características que elas tiveram no cenário interno dos países capitalistas: ou formaram um estamento obediente às normas constitucionais que foram construídas sob a diretriz das democracias representativas ou foram instrumentos da modernização autoritária que se seguiu ao fim do conflito mundial em 1945 ou foram tropas de ocupação totalitária a serviço dos interesses imperialistas e das elites conservadoras. No Brasil, tudo indica que foi este último o modelo que prevaleceu.

A classificação é grosseira para o entendimento de um fenômeno complexo, mas em linhas gerais ela pode servir para que se entenda o enquadramento do que aconteceu no Brasil durante os sobressaltos que a presença das FAs provocaram no cenário político nacional, principalmente depois da redemocratização que pôs fim ao Estado Novo. O resultado desse processo, a julgar pela discussão que ganha corpo com o descalabro em que se transformou o governo Bolsonaro, começa a ser debatido, como mostram as matérias abaixo.

Nenhum comentário: