segunda-feira, 22 de março de 2021

À beira da explosão social

Apavorados, empresários neoliberais tentam remediar a pobreza extrema dos brasileiros

Corre-corre nos gabinetes, manifestos, pressão sobre o Judiciário e sobre o Legislativo, o desespero para conter a ira genocida de Bolsonaro: o cenário que pode antecipar uma explosão social inédita na história do Brasil. No meio do caos, o oportunismo renitente da burguesia: lucrar algum trocado com a chantagem do colapso

Quase 5 anos depois do golpe do impeachment contra Dilma Rousseff, atravessado o caos do desgoverno Temer (um dos mais corruptos da nossa história) e depois do apoio que deram à eleição do genocida Jair Bolsonaro - tendo nas mãos os gráficos que mostram a falência do Brasil em todos os setores - os empresários se apressam em encontrar uma saída que os salve da revolta popular. Mesmo assim, canalhas como são, fazem chantagem em troca de mais alguns trocados às custas das trabalhadoras e dos trabalhadores.

Os textos abaixo mostram o estado de desespero que suas formulações apresentam, das privatizações à reforma fiscal, em todos os sentidos, quem vai bancar no final das contas a tímida recomposição do mercado consumidor brasileiro - tão tímda que é insuficiente para alavancar a economia - quase todas as propostas deixam intocada a gravidade da concentração da renda, a razão sensível das elites e em defesa da qual estão dispostos à guerra civil, até com Bolsonaro se for preciso. 

Vale a pena ler tudo, anotar e discutir, ampliar o debate, talvez até para entender em algum momento as razões da revolta...

Nenhum comentário: