domingo, 11 de abril de 2021

Quem oprime o Brasil?

 Garimpo da fome procura comida no lixo e sobrevive de doações

Reportagem da Folha publicada neste domingo exibe a degradação a que estão submetidos mais da metade dos brasileiros. O quadro - digno de uma alegoria sobre o inferno - é o resultado de um fenômeno chamado 'concentração da renda', um processo no qual o empresariado brasileiro e seus prepostos civis e militares vêm se especializando com selvagem intensidade depois do golpe que levou Temer e Bolsonaro ao poder

Artur Rodrigues e Lalo de Almeida
Folha

Cercada de moscas, Marli Oliveira Gama, 54, revira uma caçamba de lixo, no Jardim São Norberto, região de Parelheiros (extremo sul de SP).


Ela dá alguns restos de comida para seu cão, enquanto tenta encontrar qualquer coisa que possa aproveitar. De útil, só encontrou duas latinhas de cerveja na última quinta (8) —para ganhar R$ 3 com venda de alumínio, precisaria de mais cerca de 60.

Também não encontrou nada para comer ali. Conforme a pandemia foi se estendendo, a situação piorou em casa e ela passou a aproveitar alimentos que encontra no lixo.


Na periferia de São Paulo, sem renda e com o recrudescimento da pandemia, muitas famílias passaram a garimpar comida por aí, seja indo atrás de doações de entidades e vizinhos e até procurando no lixo.


“Eu já peguei pão para os meus filhos comerem, não tinha nada nem para o café nesse dia, tem uns tempinhos aí para trás. Às vezes, jogam algo que a gente vê que dá [para comer]”, diz. “Eu tenho uma menina em casa que tá com meus três netos. Essa semana mesmo achei umas bolachas aí, nós comemos, a vida está difícil” (continue a leitura)


Leia ainda: * País precisa de uma nova Carta ao Povo Brasileiro para enfrentar a desigualdade (Edmundo Machado de Oliveira, FSP)

Nenhum comentário: