segunda-feira, 21 de junho de 2021

Brasil anda para trás e investimentos retrocedem 20 anos

 Um desastre chamado capitalismo brasileiro

País amarga efeitos da política recessiva e socialmente excludente posta em prática com o golpe de 2016: em nome da selvageria empresarial, economia estagnou e está entre as principais causas da falência que atinge todos os setores da vida nacional. 
A matéria de Jamil Chade publicada no Uol (lincada abaixo) é um atestado de má conduta e incrimina os projetos neoliberais que foram ferozmente implementados no Brasil depois do golpe que derrubou Dilma Rousseff em 2016. Basicamente, o movimento liderado pelas forças mais reacionárias do empresariado (com apoio do suporte de parcela do Congresso e da mídia) operou no sentido de erradicar toda a rede de proteção social dos trabalhadores, proteger o capital, desnacionalizar setores estratégicos da soberania nacional e alargar ainda mais o modelo periférico e colonizado de modernização industrial. 

O resultado é o que se vê agora: a economia brasileira patina sem alternativas de crescimento, nem externas nem internas - exceto nas práticas reprimarizadoras do agronegócio que agravam ainda mais as disparidades sociais e o desastre ambiental. Esta postagem elenca, mas matérias de análise abaixo, os sintomas desse quadro - dos quais a crise sanitária é um exemplo; ao mesmo reproduz os indicativos de suas consequências políticas - em especial o caos que pode resultar num aprofundamento do bolsonarismo.

Nenhum comentário: