quarta-feira, 11 de agosto de 2021

#ForaBolsonaro

O palanque bolsonarista: um monturo

Derrota na Câmara não basta

A camarilha de gente mal-intencionada que tomou o poder no Brasil perdeu feio ontem na votação que sepultou o projeto da fraude eleitoral do voto impresso. Depois da vergonha a que as Forças Armadas submeteram o Brasil com o desfile das verdadeiras sucatas que constituem seu arsenal, foi no plenário da Câmara que o isolamento de Bolsonaro foi sacramentado: nem mesmo a suposta demonstração de força foi suficiente para reverter o que já era esperado. 

Nas mãos desses desqualificados, o Brasil é hoje um país indigente - mas isso não é suficiente para que a sangria do povo seja estancada. No meio da falência geral, o bolsonarismo respira, ataca e camufla o estado de corrupção em que vive: a mini-reforma trabalhista está aí para quem tem dúvidas a respeito. Se não bastar, vejam aí a farsa da extinção do Bolsa Família; ou ainda as privatizações. A derrota do voto impresso não muda o cenário, embora possa ter criado um estado de constrangimento das forças da extrema direita. O momento agora é o de exigir o rigor absoluto nas apurações da CPI e transformar o relatório de Renan Calheiro sobre os crimes de Bolsonaro na peça principal do impeachment... com o povo nas ruas. 

Leia mais: * A Jair Bolsonaro mais interessava o placar (Carlos Melo, Estadão) * Mourão nem foi convidado para a festa da sucata (Estadão) * The Guardian: o desfile da República de Bananas de Bolsonaro (Carta Capital) * Bolsonaro é o 'revanchista' 01 das Forças Armadas (Octávio Guedes, G1)

Nenhum comentário: