segunda-feira, 27 de setembro de 2021

Anais do bolsonarismo

Prevent Senior: Auschwitz é aqui

Donos da seguradora Prevent Senior transformaram-se em senhores da vida e da morte sob o comando do genocídio praticado contra o Brasil por Bolsonaro e seus seguidores

A montagem da foto - que associa a seguradora Prevent Senior ao campo de concentração de Auschwitz - não tem nada de exagero: a empresa deu sustentação a Bolsonaro através da ocultação das informações sobre as mortes por covid-19 provocadas pela recomendação criminosa do 'tratamento precoce' com  medicamentos sabidamente ineficazes contra o vírus. A natureza dos fatos que estão sendo apurados pela CPI da pandemia e por outras instâncias do Judiciário exibe uma prática ainda não suficientemente explorada nas denúncias sobre os desmandos do bolsonarismo: a do extermínio de pessoas como instrumento de poder, alguma coisa próxima aos assassinatos cometidos por Hitler, Eichmann, Mengele. 

Esse talvez seja o ponto culminante do cenário de horrores que se construiu no Brasil desde 2016 e que agora, com Bolsonaro no governo, chega ao ápice em termos de crueldade. Não há impeachment que pague esse processo nem há tipificação do significado que preside a transformação de uma seguradora de saúde em campo de concentração. O mundo chora pelo Brasil e pelos brasileiros...

* Clipping sobre o depoimento da advogada Bruna Morato na CPI (Google News) * MP de São Paulo arquivou inquérito sobre a PS sem investigar (Uol) * Caso Prevent expõe a natureza da privatização da saúde no Brasil (EstadãoDonos da Prevent Senior têm US$ 9 milhões em paraísos fiscais (Piauí* Médicos narram irregularidades praticadas pels operadora (g1) * Entenda todas as investigações envolvendo a Prevent Senior (CNN) * Com anuência do CFM, Prevent Senior transformou brasileiros em cobaias humanas (Intercept) * O caso da PS, por esses fatos, é o maior escândalo da medicina brasileira (RBA* Vazios, hospitais temáticos da PS lembram locais turísticos (TAB, Uol) * A caçada da PS contra os médicos que a denunciaram (El País) * Brasil teve política de infecção em massa, diz juíza de Haia (Estadão).

Nenhum comentário: