quinta-feira, 14 de outubro de 2021

Força de ocupação

Indiferença com o sofrimento do povo:
a marca de uma instituição sem rumo

Justiça condena executores militares, mas Bolsonaro justifica ação criminosa

Um dos episódios mais emblemáticos do desvio doutrinário e disciplinar do Exército brasileiro recebeu da própria Justiça Militar uma dura advertência: a condenação de 8 soldados que executaram com 257 tiros o músico Evaldo Rosa e o catador Luciano Macedo

O fato ocorrido em 2019 mostra o nível a que chegou o fosso que as Forças Armadas construíram nas suas relações com a sociedade brasileira, em especial pelo apoio que têm dado aos desmandos do governo Bolsonaro e pela indiferença indisfarçável que exibem em relação aos desajustes que transformaram o Brasil num dos países mais desiguais do mundo. O cenário do crime evidencia a metamorfose de uma força institucional em força de ocupação.

Nenhum comentário: