quinta-feira, 23 de dezembro de 2021

2022, um ano de esperança

A vigésima-quinta hora

Belluzzo: o maior dos desafios de Lula é o modelo econômico

Em entrevista ao jornal GGN, de Luis Nassif, o professor da Unicamp e um dos principais representantes do pensamento desenvolvimentista expõe o roteiro das prioridades de um eventual governo Lula, com destaque para a correção estrutural dos rumos da economia brasileira.  

Arrisco a dizer que a ordem dos fatores na transição para a plenitude do regime democrático que o Brasil deve inaugurar nas eleições de 2022 importa muito. Disciplinar o empresariado, recuperar o papel do Estado na condução das diretrizes econômicas e restaurar o regime de direitos trabalhistas e sociais formam a base e a sinalização da recuperação nacional. Nesta última postagem de 2021, reuno algumas análises que evidenciam essas prioridades.

segunda-feira, 20 de dezembro de 2021

Viva Chile!

Gabriel Toric fala ao povo chileno como presidente eleito

Nenhum dos clássicos instrumentos golpistas das elites, do boicote nos transportes públicos às narrativas reacionárias da mídia, foi suficiente para conter o impulso de mudança que elegeu o novo presidente do Chile.

Impressionante
Nada será como antes no Chile depois da campanha presidencial que culminou com a vitória da coligação progressista Apruebo Dignidad nas eleições presidenciais de ontem. A novidade é o rosto que adquire o novo símbolo da representação popular: o jovem comunista Gabriel Toric, de apenas 35 anos, que herda o acúmulo de forças que se opõem à ultradireita sempre disposta a manter o país como um laboratório das mais cruéis experiências fascistas e neoliberais. Qualquer previsão sobre a implementação das mudanças anunciadas na campanha é prematura, mas a América Latina inteira festeja o império da vontade popular que se impôs no país andino.

sábado, 18 de dezembro de 2021

Fim de festa: o deboche como ideologia e instituição

Criminosos à solta

Episódios recentes mostram um Bolsonaro sem controle e disposto cometer qualquer sandice para esconder a fraqueza de seu caráter doentio.
O que mais me impressiona no vídeo em que Bolsonaro proclama a arbitrariedade que cometeu contra os funcionários do Iphan não é a confissão de que agiu para proteger os interesses privados do escroque Luciano Hang ou a admissão de que não tem a menor ideia do que é o patrimônio histórico do Brasil. O que me impressiona mesmo são os aplausos de assentimento que o genocida recebeu da plateia de empresários aos quais dirigiu sua fala. O episódio todo é revelador do estado de podridão em que se transformou o sistema de poder articulado nas eleições de 2018 e que, tudo indica, termina em menos de um ano. 


El pueblo unido jamas será vencido

A HORA DO CHILE

sexta-feira, 17 de dezembro de 2021

Cenas do colapso

O espectro que ronda o Brasil: a revolta social

Por comida, famílias ocupam supermercados em pelo menos 9 capitais (Uol)

"Famílias ocuparam hoje (16 de dezembro) hipermercados pelo Brasil em busca de alimentos. A ação organizada pelo MLB (Movimento de Luta nos Bairros, Vilas e Favelas) foi realizada simultaneamente em pelo menos nove capitais.

"Em Aracaju, Belém, Belo Horizonte, Natal, Porto Alegre, Recife, Rio de Janeiro, Salvador e São Paulo, os atos aconteceram em supermercados. Em Fortaleza, foi ocupada a Secretaria de Proteção Social, Justiça, Cidadania, Mulheres e Direitos Humanos do Ceará.

"Sob o nome de "Natal sem fome", o ato nacional reuniu centenas de pessoas em cada cidade, e contou com a presença de homens, mulheres e crianças, em denúncia contra a fome e em busca de cestas básicas. Nos estabelecimentos, os manifestantes exibiam faixas e repetiram palavras de ordem (continue a leitura no Uol)

Ao lado de empresários, na FIESP, Bolsonaro é o
 bobo da corte

Bolsonaro ignora a gravidade da crise e  festeja





Junto com os 650 mil mortos, Bolsonaro enterra a modernização e condena o Brasil a mais um século de atraso

O fantasma da desmodernização

Marcio Pochmann, Outras Palavras


Superar o atraso sempre foi um árduo desafio nacional. Mas agora, uma avalanche de dissolução arrasta tudo: das instituições de planejamento à Educação, Ciência e centros de pesquisa como o IBGE. Será possível revertê-la, em 2022?


"Algo profundamente inesperado acontece no Brasil: a desmodernização. Por decisão de sua elite dirigente, um ex-militar busca “implodir pontes” que asseguravam a continuidade do acesso ao futuro nacional, tornando o amanhã cada vez mais uma espécie de volta ao já conhecido passado arcaico.


"Da mesma forma, incríveis operações de “queima de caravelas” conduzidas por um astronauta acontecem no âmbito da ciência e tecnologia. Não bastasse isso, a destruição de um dos mais avançados sistemas de saúde pública do mundo avança por força de “especialistas”, seja em logística, seja no tratamento do coração.


"A educação não consegue se diferenciar do mesmo percurso, com o desmonte cada vez mais eficaz. Sob o comando de um pastor, o “rebanho educacional” desponta com o retorno aos tempos do livro de Jó. Antes dele, o Ministério da Educação já fora ocupado por economista fundamentalista no mercado financeiro, adestrado no que o ilustre Sérgio Motta definia por 'masturbação sociológica'" (continue a leitura).

quinta-feira, 16 de dezembro de 2021

Trevas e luzes, barbárie e civilização

André Mendonça no STF

O pequeno pastor "terrivelmente evangélico" chega à Suprema Corte aparentemente de joelhos diante daquilo que de pior a sociedade brasileira armou para a sua indicação: o bolsonarismo e a gangue de escroques e picaretas que o apoiam na missão de envergonhar a Justiça. Vai seguir o roteiro fascista ou conseguirá escapar da armadilha?